Minha foto

Poeta nascido no Rio de Janeiro em 1976. Considerado um dos poetas brasileiros mais representativos da década de 2000 na antologia Roteiro da Poesia Brasileira (Global, 2009), é autor de vários livros publicados gratuitamente em seu blog, cujos melhores poemas foram reunidos em Corte (Ibis Libris, 2004) e rio raso (Patuá, 2014). Mantém o bem sucedido site “A Magia da Poesia”, que teve mais de um milhão de acessos em 2012, onde divulga a obra de grandes poetas. Seus poemas já foram selecionados para livros escolares, traduzidos para o russo e publicados em diversas revistas literárias.  (saiba +)

31/01/2013

as asas

um pássaro preso
não por gaiolas externas
mas pelo peso
de suas próprias pernas

28/01/2013

atualíssimo (trezentos mortos queimados)

tranquem as catracas
travem as saídas
nas trevas trincaremos dentes
soldados
pelo patrimônio

26/01/2013

Belo Monte - Avatar

o destruidor progresso
aumenta o deus consumo
que precisa de mais progresso
que precisa de mais consumo...

o sol e a lua se olham calados

sumamos com o que atrapalha
bebendo sumo de uva
na caixa irreciclável
sem pensar nos tratores
nos exércitos
nos netos de todas as raças que morrerão de fome
(caso venham a existir)

sem pensar
sem pensar o máximo possível
sem pensar em Darcy Ribeiro
sem pensar

sem pensar

sério

se não fosse a poesia
seria
serial-killer

24/01/2013

antes que se complete

pesa-se um homem por seus títulos, cargos, salários?
pesa-se um homem por seus atos, metas, medos, sorrisos, planos, desestatura?

desestabiliza-me.

visto o canto da sombra,
apresso-me
em olhar a mim mesmo
melhor

ponto e vírgula

pássaros pousam
na guarita
pronta pra guerra

poucos vêem

23/01/2013

o que for

chova o que for em meu ouvido
olhos
qualquer parte

estarei vivo
enquanto escrever
um pingo de arte

22/01/2013

Para Rebeca

não deu no jornal:
um abraço de manhã num brasileiro
salva um dia inteiro

autopoema drummoniano

não serei o poeta de um mundo percalço
menos imundo que eu mesmo:
estamos todos perdidos em futuros
e olho meus companheiros...

21/01/2013

caracol

estudar algo chato
para passar pra um trabalho chato
e
estudar algo chato
para passar pra um trabalho chato
e
estudar algo chato
para passar pra um trabalho chato
e
estudar algo chato
para passar pra um trabalho chato
e

auto

como se faz um poema?

uma onda ruge ao longe
crianças brincando na areia
a vista linda...

o poema se faz

19/01/2013

quando do rompante

a semente que sofre
torna-se espinho adiante

suo o espinho
na ponta da mão
para escrever
na areia do tempo
o nome do santo que não sou

traço teimosa e instintivamente
flores aos que semeiam
e espinhos aos que espetam

17/01/2013

bem imóvel

troveja fora
da minha tontura

faz sol com luz

lá fora

(lá fora)

acalanto o sacrifício de desistir vida afora
embalo-o
acalmo-o

clamo revolução
sentado no escritório
imóvel

prova acadêmica

estudamos pela xerox
para repetir por extenso
o que outro redisse em aula

15/01/2013

sério

quero
cada
hora
uma
coisa

calo
quero

quero
calo

quero
quero

calo
calo

mudo
surto
paro

parto
volto
calo

13/01/2013

tao. vês?

talvez
o encanto da vida
seja esse enquanto

04/01/2013

encaixe

nossos prédios
nossas casas
retangulares
com janelas retangulares
e grades

nossas igrejas quadrangulares
erigidas sobre bíblias retangulares

nossos amores redondos

03/01/2013

oshístico 46

tentam subir o rio a vida toda.
eu o desço
e rio.

o eu

quantas medalhas
serão necessárias?

luto
e me iludo

relaxo
e me acho

manhã cinzenta

o horizonte silencia
chuvas
distantes

01/01/2013

como o vô fazia

sair pra se molhar
                            na primeira chuva
não atrás de sorte
                            mas pra se lembrar
da felicidade